YouTube Twitter Facebook Sound

CUT MT > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > MULHERES CAMPONESAS DENUNCIAM AMEAÇAS DE LATIFUNDIÁRIO NO MATO GROSSO

Mulheres camponesas denunciam ameaças de latifundiário no Mato Grosso

08/03/2018

Jornada Nacional de Lutas das Mulheres Sem Terra 2018 "Quem não se movimenta, não sente as correntes que a prendem"

Escrito por:

Na manhã desta quinta-feira (08), Dia Internacional da Mulher, cerca de 300 mulheres camponesas integrantes do MST, ocuparam a Fazenda Entre Rios que fica no município de Jaciara, 150 km ao sul da capital do estado, Cuiabá.
 
A região que é central para o agronegócio no Mato Grosso, articula interesses de políticos, latifundiários, poder público e seus aparatos estatal, como a polícia militar. Em nota, as mulheres denunciam a ameaças por Flitz, que se diz proprietário da Fazenda, do Presidente do Sindicato Rural de Jaciara Rogério Berwanger, o Major Marcos Vinícios e o vereador Jânio que hoje é secretário de obras.
 
"As mulheres, agora ainda mais despertas, sabem que o latifúndio e o agronegócio são originários de uma burguesia escravocrata e que são capazes de fazer atrocidades. São inúmeros os assassinatos e chacinas realizados e encomendados por estes latifúndios do AGRONEGÓCIO em Mato Grosso", afirma trecho da nota.
 
A área é devedora da União e fica a 25 km de Jaciara na estrada Cachoeira da Fumaça. Segundo informações levantadas por fontes no local, a Fazenda pertence ao Grupo AGP que ainda atua nos municípios de Campo Verde e Primavera do Leste e está penhorada no Banco do Brasil por dívidas de empréstimos e dívidas na Receita Federal e não pagamento de impostos. Além disso, consta na Justiça do Trabalho 10 processos trabalhistas e, conforme a Constituição Federal a propriedade rural deve cumprir sua função social, sendo que uma delas é a obediência às regras trabalhista e direitos dos empregados (Artigo 186 inciso II da Constituição Federal).
 
 
Confira nota abaixo.
 
Dono da Fazenda e Presidente do Sindicato Rural de Jaciara ameaçam as mulheres camponesas
 
A Fazenda Entre Rios está bem no centro do agronegócio de Jaciara. Terra muito boa, bem localizada. O fazendeiro dono da área é influente no município, tem parente na politica local há muito tempo e é bem articulado com o Sindicato Rural.
 
Nesta quinta-feira (08), pela manhã, cerca de 10 camionetes passaram em frente da fazenda e arrancaram as faixas. Informações que recebemos e depois confirmada pelo próprio fazendeiro, é que tem uma mobilização de fazendeiros da região em Jaciara, que estão se articulando para fazer o despejo.
 
Por volta das 10h chegaram na fazenda: o que se diz Dono da Fazenda (sobrenome Flitz), o Presidente do Sindicato Rural de Jaciara Rogério Berwanger, dois carros da Polícia Militar com o Major Marcos Vinícios e o vereador Jânio que hoje é secretário de obras.
 
Nossas mulheres confirmaram a eles que a luta é nacional e que estão dispostas a ficar até o final da tarde. O fazendeiro insistiu em entrar e deixar o pessoal trabalhar. Porém, todos nós sabemos, isso é impossível de confiar, e portanto as mulheres não aceitaram a proposta. Como já dito acima o fazendeiro disse que ele não deixou os demais fazendeiros ir para a fazenda tentar fazer o despejo.
 
As mulheres reivindicaram que eles entregasse as faixas e disseram que nesta sexta-feira (09/03) às 09h, irão fazer uma audiência na prefeitura com a presença do INCRA. Eles então foram embora, porém em menos de 5 minutos voltaram e tentaram entrar com os carros, forçando e ameaçando jogar o carro em cima das mulheres. Os policiais, vendidos ao agronegócio, estavam dando cobertura e proteção para que eles entrassem na área, mas ao perceberem que as mulheres resistiram resolveram voltar. Ao sair o dono da fazenda disse que não se responsabiliza. Os fazendeiros da região estão acampados na fazenda vizinha.
 
As mulheres, agora ainda mais despertas, sabem que o latifúndio e o agronegócio são originários de uma burguesia escravocrata e que são capazes de fazer atrocidades. São inúmeros os assassinatos e chacinas realizados e encomendados por estes latifúndios do AGRONEGÓCIO em Mato Grosso.
 
Embora o governo de MT é comandado pelos Golpistas e o Governador é uma peça e representa o agronegócio e setores reacionário da Justiça, esperamos que possa intervir para que não ocorra nenhuma violência contra as mulheres que lutam por justiça e por terra para todas as famílias sem terra deste estado do latifúndio.
 
Direção Estadual MST -MT
 
Cuiabá 08 de março de 2018. Dia Internacional da Mulheres
Jornada Nacional de Lutas das Mulheres Sem Terra 2018
"Quem não se movimenta, não sente as correntes que a prendem"
 
Fonte: MST
  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DO MATO GROSSO
Rua São Benedito, 874 | Bairro Areão | CEP 78010-258 | Cuiabá | MT
Fone: (55 65) 3624.9915 | www.cutmt.org.br | e-mail: cutmt@terra.com.br